Network as a service e tendências no mercado de startups

Posted on

Recentemente fui apresentada a empresas que se denominam “network as a Service”, uma alusão ao termo SaaS (Software as a Service, que armazenam dados na Nuvem e que podem ser instalados e desinstalados de máquinas com grande agilidade e fácil escalabilidade, tornando sua venda a um serviço, e não um produto em si).

Resumindo, elas são redes de relacionamento entre startups e corporações e essa foi uma descoberta interessante. Primeiramente porque cada uma delas tem uma maneira de avaliar as startups mais atraentes ao olhar de todo o ecossistema e segundo porque as bases são constantemente atualizadas pela própria comunidade, ou seja, quanto mais canais de comunicação essa rede tiver, mais completo é seu banco de dados.

Sendo assim, fiz uma lista com os 4 padrões que mais me chamaram a atenção nas minhas pesquisas de tendências, nas avaliações de startups e nas conversas com empreendedores. Gostaria de compartilhar para saber a opinião de vocês e suas experiências a respeito:

1.Ex executivos estão entre os melhores founders

Quando avaliamos o panorama de startups do país, notamos que muitas das bem sucedidas contam com um fundador que conhece o mercado corporativo, já tem contatos e experiência profissional.

Isso porque ex executivos possuem referências de seu mercado.Certamente é importante estudar e ir além de suas experiências pessoais, mas o fato de ter visto e/ou vivenciado o desenvolvimento de uma quantidade considerável de negócios e o desenrolar deles é um diferencial competitivo. Experiência em gestão de projetos também é uma habilidade muito bem vinda, visto que a criação de uma startup é muito semelhante a uma implementação.

As fintechs fazem parte de um segmento cheio de exemplos. O Nubank, emissora de cartões de crédito e caso de sucesso dentre usuários, conta com fundadores com uma carreira já consolidada em grandes empresas como Itaú Unibanco e o Sequoia Capital, grande Venture Capital focado em tecnologia. O Guia Bolso, aplicativo para gestão de finanças pessoais, também têm fundadores vindos do segmento de consultoria de estratégia.

2. Founders jovens e bem sucedidos cercam-se de mentores competentes cedo

Uma boa ideia e a capacidade de execução podem ser pontos de partida para uma startup, mas não são suficientes para o negócio ultrapassar a fase inicial e tornar-se uma empresa consolidada.

Quando avaliamos a história de startups bem sucedidas e capazes de se consolidar como empresas que não apenas sobreviveram, mas geram receita e negócios, a figura de um mentor ou conselheiro costuma estar presente.

Olhe o histórico de empreendedores como Mark Zukerberg, do facebook. Ele teve a ideia em 2003, no seu dormitório na universidade de Harvard, em 2004 recebeu seu primeiro aporte e mentoria de Peter Thiel, executivo do Napster e Plaxo. O investimento série B foi feito em 2005 pela Accel Partners e como parte do acordo, Jim Breyer, um sócio da Accel, entrou para o conselho do Facebook também.

3. Uma rede de contatos vale tanto ou mais que uma boa ideia

Quem cultiva sua rede de contatos torna uma conversa sobre possíveis investimentos, uma matéria na imprensa e a aquisição de clientes muito mais rápida e fácil, pois esses públicos já podem conhecer sua reputação e sua capacidade de execução.

Essa rede é benéfica para todos os envolvidos e acelera o processo de investimento e procura da startup ideal.

4. Tudo As a Service é um caminho sem volta

Existe uma tendência latente de vários segmentos migrarem para versões online e em nuvem, para ser consumido como um serviço. Esse conceito já existe há anos em grandes corporações de software desde que eu trabalhei em uma delas, há 10 anos (!!!) e vem se expandindo para o setor de serviços.

De advocacia e contabilidade ao planejamento de casamentos e assessoria de imprensa, inúmeros serviços que seguem um protocolo ou procedimento repetitivo já encontram-se disponíveis na forma de apps ou aplicações stand alone. É impressionante a qualidade e qualidade de startups no segmento e vale a pena acompanhá-lo, pois existem muitas soluções B2C que podem resolver antigos problemas cotidianos.

Como é a visão de vocês do ecossistema?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *